Você já deve conhecer as principais criptomoedas do mercado, mas qual é a proposta única de valor (o diferencial) de cada uma delas?

Todos nós sabemos que, ao guardar nosso dinheiro no banco, ele será mantido e gerenciado por mãos humanas que irão mantê-lo seguro e utilizá-lo de formas sobre as quais não temos controle, certo?

As principais Criptomoedas e o sistema sobre o qual elas foram desenvolvidas buscam democratizar e descentralizar esse processo.

Cryptocurrencies, ou as moedas correntes digitalmente, foram também desenvolvidas com o propósito de conseguir quebrar as barreiras físicas que envolvem a manutenção de dinheiro, basta apenas ter acesso à internet!

Atualmente, o mundo conta com mais de três mil tipos de criptomoedas. Há algumas o próprio nome é auto-explicativo (bitcoin = moeda) e outras que o usuário tem que se aprofundar mais para entender melhor como funcionam.

Um exemplo é o Arcade City, que além de criptomoeda, também é uma rede de blockchain descentralizada que concorre com o Uber.

Confira!

 

Quais são as principais Criptomoedas?

Uma das coisas mais legais sobre criptomoedas, sendo a principal no mundo o Bitcoin, é que elas competem democracticamente entre si, com um alto grau de imunidade a regulações estatais.

“No momento em que esse post é escrito, o bitcoin possui aproximadamente 60% de todo o mercado de criptomoedas!”

A criptografia utilizada nesses processos é mantida por um consenso geral da web – por isso, receberam o nome de criptomoedas (advindo do termo grego kryptós, que significa secreto), e são mantidas não por pessoas ou por seguros, mas pela simples e pura matemática dos softwares.

A segurança fornecida pelo mecanismo de chaves criptográficas oferece um tipo de segurança que não é comum nos investimentos de hoje. Além disso, por ser uma moeda da internet, seu acesso é amplamente democrático.

1. Bitcoin

bitcoin logo

 

Criada por Satoshi Nakamoto, a rede e a criptomoeda (chamadas ambas de Bitcoin) são as que tem maior domínio de mercado.

Ficha técnica

  • É a criptomoeda original.
  • Foi lançada por meio de um software de código aberto.
  • Criada em 2009.
  • Seus processos são completamente transparentes para a rede
  • Disponível para qualquer pessoa
  • Sigla da criptomoeda: BTC

Não há uma autoridade central no gerenciamento dos Bitcoins, quem realiza esse trabalho são usuários mineradores.

Uma vez que uma transação é enviada à blockchain, ela jamais pode ser desfeita, e seu registro ficará para sempre no histórico da cadeia de blocos. Uma das suas características mais importantes é a irreversibilidade, ou seja, não é possível desfazer uma transação.

Não é possível utilizar seu nome ou informações reais, o sistema funciona por pseudônimos para preservar o anonimato de seus usuários.

Um fato curioso sobre o Bitcoin é que, em 2010, um ingênuo programador comprou duas pizzas pelo valor de 10.000 BTC, sendo uma das primeiras transações da criptomoeda com o mundo real. Hoje, 10.000 BTC equivalem à pífia quantia de U$38 milhões – nós esperamos que ele tenha feito uma ótima refeição.

Muitos são os fatores que influenciam o preço do Bitcoin, sendo esse um ativo de alto risco. No entanto, também é sabido que grandes riscos também podem ter grandes ganhos par quem investe. É tudo uma questão de equilíbrio entre vantagens e desvantagens de cada tipo de investimento.

2. Ethereum

ethereum logo

O Ethereum ocupa o segundo lugar entre as principais criptomoedas atualmente, e sua rede funciona não só com sua própria moeda: ele também abriga uma série de outras criptomoedas em suas transações.

Ficha técnica

  • Lançado por software de código aberto em 2015
  • Criado para gerenciar além de sua moeda
  • Tem foco em contratos inteligentes
  • Tem como criptomoeda principal o Ether, de sigla ETH
  • É usado como moeda de troca para serviços em sua rede

O Ethereum também funciona por meio da mineração, no caso, de sua moeda ether, e os profissionais podem fazê-la de modo mais simples, sem precisar investir em hardware, como no caso do Bitcoin.

Um dos diferenciais que alavancou a posição da plataforma Ethereum é o fato de que ela pode ser usada não só para as transações, mas também para a criação e utilização de contratos inteligentes, que podem automatizar a gestão de contratos em diversos níveis de complexidade.

Com um valor de mercado de U$1.1 bilhões, o Ethereum cresceu em 2,116% apenas no último ano, fazendo com que seus investidores tenham obtido ganhos significativos, aumentando ainda mais seu poder na web, além de ser combustível também para os serviços trocados pelos usuários em sua plataforma.

De forma mais detalhada, acesse: [Infográfico] O que é Ethereum!

3. Ripple

ripple logo

O Ripple é talvez uma das criptomoedas mais odiadas no meio digital, talvez porque a sua plataforma e ferramentas permitam e incentivem a utilização por meio de bancos. Sua conversão em moedas bancarizadas, como o real ou o dólar possui taxas muito menores. Outro destaque para o ripple é a robustez do seu código, com transações mais rápidas e a custos muito baixos.

Ficha técnica:

  • Trabalha com qualquer criptomoeda ou moeda
  • Lançado em 2012
  • Utiliza a moeda ripples (XRP) como valor central
  • Não necessita de mineração, tendo também um valor fixo de moedas produzidas
  • Tem o apoio de várias instituições bancárias

O Ripple, então, funciona basicamente com o propósito de se tornar o método padrão de transações internacionais, tendo bancos como o Santander, o Banco Real do Canadá, o UBS e o Unicredit como alguns apoiadores em seus primeiros passos, e vários outros testando seu funcionamento atualmente.

Trabalha com as moedas de dólar, euro, Bitcoin, XRP, tendo um enorme potencial para crescimento caso seja real e amplamente adotado pelos usuários pretendidos em sua criação.

Um artigo dedicado somente a essa criptomoeda: Ripple: TUDO o que você precisa saber!

4. Litecoin

litecoin logo

Tendo sido criada por um ex-funcionário do Google, chamado Charles Lee, a Litecoin foi desenvolvida com o objetivo de ser uma alternativa mais leve para o Bitcoin, e funciona de maneira extremamente similar ao mesmo, contando com a mineração, as transações e a troca por produtos e serviços na rede.

Ficha técnica:

  • Conta com um algoritmo mais simples
  • É quatro vezes mais rápido na geração dos blocos da blockchain
  • Lançado em 2011
  • Transações mais rápidas

Sua criação facilitou incrivelmente o surgimento de outras criptomoedas que também partem do princípio da simplicidade e que podem ser ainda mais leves.

Não é necessário nenhum tipo de hardware especializado para realizar a mineração, facilitando os processos feitos pelos usuários.

5. Dash

dash logo

Uma das principais criptomoedas, a Dash foi criada com a intenção de apresentar uma melhoria em relação ao Bitcoin nos aspectos de agilidade das transações, bem como na privacidade proporcionada aos usuários – utilizando tecnologias avanças que proporcionam o anonimato.

Ficha técnica:

  • Possui arquitetura de dois níveis
  • Criado em 2014
  • Melhoria da agilidade nas transações
  • Melhoria do anonimato
  • Primeira organização autônoma descentralizada

Um dos fatores que faz da Dash uma das principais criptomoedas é sua possibilidade de tornar o sistema cada vez mais amigável ao usuário, atraindo novos e possibilitando seu crescimento mais fácil no mercado.

Confira algumas criptomoedas geradas por forks

O que são forks?

Os forks acontecem quando parte do código aberto dos softwares é utilizada e desenvolvida independentemente a partir de apenas um pedaço do algoritmo, gerando a criação de uma nova criptomoeda em um novo sistema de plataforma.

Para você compreender – isso é muito importante – realmente o que é um fork, leia: O que são e quais os impactos dos hard e soft forks?

Bitcoin Gold

O Bitcoin Gold (BTG) é uma proposta nova que promete ser lançada em novembro de 2017 com o intuito de melhorar as condições para a realização da mineração, sem a necessidade da aquisição de hardware, geralmente muito caro, para que mais pessoas possam passar a atuar.

Bitcoin Cash

Lançado em agosto de 2017, o Bitcoin Cash (BCH ou BCC) consiste em uma tentativa da otimização dos processos de transação em relação ao Bitcoin tradicional. Ao ser criado, todos os usuários do Bitcoin tiveram suas criptomoedas duplicadas para serem capazes de utilizar o novo sistema.

Ethereum Classic

Resultante de um roubo, o Ethereum Classic tem como objetivo as mesmas transações que a versão atualizada, o potente Ethereum, e funciona simultaneamente, mas mantém a imutabilidade prévia às atualizações para prevenir novos incidentes.

E aí, o que achou do artigo? A sua opinião é essencial para nós!

Comente também se você já realizou transações com alguma das principais criptomoedas!